História - Lobao Tattoo Saude

Animated textheadlineswords

Animated textheadlineswords

Animated textheadlineswords

Animated textheadlineswords

Animated textheadlineswords

Animated textheadlineswords

Title
Ir para o conteúdo
UMA BREVE HISTÓRIA DA TATUAGEM


Maquina tatuando a pele
                              
Toda pessoa que possui uma tatuagem já  sabe mais ou menos como funciona o processo. Depois de ter escolhido o  desenho, o profissional da tatuagem transfere o contorno do desenho para  a pele da pessoa com um stencil previamente preparado. Em seguida, o  tatuador aplicará pigmentos orgânicos e atóxicos através da máquina  elétrica de tatuagem.
                              
A máquina movimenta uma agulha ( que  deve ser descartável ) para cima e para baixo para perfurar a pele entre  1000 e 5000 vêzes por minuto. A agulha penetra cerca de 1 milímetro na  pele e alí deposita uma minúscula partícula de tinta a cada perfuração.
                              
Os princípios básicos da máquina de  tatuar, continuam relativamente inalterados desde sua invenção, em 1891,  por Samuel O' Reilly.
                            
                                                                          
                                                        
                                                                                                             
A Tatuagem e suas Origens
Tatuar é a arte de introduzir pigmentos,  utilizando-se de diferentes métodos, sob a camada inferior da pele, a  derme, produzindo desenhos permanentes. Existem diversos motivos pelos  quais os indivíduos se tatuam, e esses motivos vão desde aspéctos  práticos como a necessidade de camuflar o corpo para a caça ou para a  guerra, até aspectos religiosos como para garantir um lugar entre os  eleitos ou simplesmente para marcar rituais de passagem, como a  puberdade. Entre alguns povos a tatuagem é usada como ritos de  fertilidade, para evitar doenças ou até evitar invejas, mal-olhado ou  coisas do gênero.
                  
Entre certas comunidades e organizações , como os  Yakuzas ( máfia japonesa ), a tatuagem é um símbolo de status e de  posição hierárquica ou social. A tatuagem pode ser usada também para  registrar um feito importante, infundir temor, aumentar os atrativos do  corpo ou expressar sentimentos como patriotismo, amor, amizade e até  mesmo para indicar uma profissão. Já entre os povos antigos, a tatuagem  era uma prática comum, tanto que Charles Darwin ( o pai do Evolucionismo  ), afirmou que a prática da tatuagem entre os aborígenes, era  encontrada desde a Nova Zelândia até o Polo Norte.
Tatuagem Yakuza
                      
Documentos históricos indicam que a tatuagem já  era praticada no Egito antigo, entre 4000 à 2000 AC, e no Japão e China  à pelo menos 7000 anos. Considerando que essas civilizações foram pólos  de descobrimento e comércio, não é difícil entender porque tatuagens  foram encontradas  mais tarde, em torno de 1100 DC, por toda a Ásia,  Polinésia e Nova Zelândia. Existem também registros de que os Celtas, os  Pictos, os Vikings, os Dinamarqueses , os Normandos, e os Saxões também  se tatuavam. Nas Américas, um tatuador estabeleceu-se em Boston, em  1846, muito embora os nativos do continente praticassem uma forma de  tatuagem muito antes disso.
                      
No Antigo Egito, existiam múmias que  apresentavam tatuagens de conteúdo mágico ou medicinal. Em algumas  delas, como na múmia de uma sacerdotisa de 2000 AC, existem linhas  horizontais e paralelas à altura do estômago, possivelmente para  proteção contra gravidez ou doenças.
Múmias com os mesmos tipos de  sinais foram encontradas no vale do rio Nilo. Segundo os especialistas,  as tatuagens em múmias do sexo feminino tinham um efeito cosmético e  decorativo para realçar seus encantos.
OTZI. A múmia tatuada mais antiga do mundo.
Otzi, ou múmia do Similaun é  uma múmia masculina bem conservada com   cerca de 5300 anos. A múmia foi  encontrada por alpinistas nos Alpes   Italianos em 1991, em uma geleira  dos Alpes Ótztal, perto do monte   Similaun, na fronteira da Áustria  com a Italia.O corpo foi intensamente   examinado, medido, radiografado e  datado. Quando morreu, Otzi tinha   entre 30 e 45 anos e  aproximadamente 1,60m de altura. Durante os exames   feitos por peritos,  foram constatadas 57 tatuagens, algumas das quais   eram localizadas em  ( ou perto de ) pontos que coincidem com os atuais   pontos de  acupuntura que podem ter sido feitas para tratar os sintomas   de  doenças como artrose e parasitas digestivos.
Mumia Otzi - A mumia tatuada
PRÁTICA E INSTRUMENTOS PRIMITIVOS

Em 787 DC, o papa Adriano I, baniu , como prática pagã, a tatuagem no mundo cristão conhecido, mas isso não foi o suficiente para que a arte fosse extinta. Isso porque ela se manteve na maioria das outras culturas, onde cada povo, cada tribo, cada grupo social tinha suas razões e motivações para adornar seus corpos com grafismos permanentes. Da mesma forma, cada cultura empregou diferentes técnicas e instrumentos de tatuagem. Os esquimós costumavam riscar suas peles com varetas impregnadas de fuligem de carvão, traçando linhas. Os maoris, na Nova Zelândia, esculpiam seus rostos com cinzéis, aplicando pigmentos nos cortes. Os japoneses elaboravam suas tatuagens e seus desenhos artísticos, como ainda o fazem hoje em dia, usando agulhas montadas em varetas de madeira. Em outras culturas, outros métodos e técnicas foram utilizados, resultando em belíssimos trabalhos.

No Ocidente, de forma oculta e incipiente, a tatuagem voltou a ganhar força no século 18, a partir da viagem do capitão Cook ao Pacífico Sul, culminando com a invenção da máquina elétrica de tatuagem, em 1891 , por um irlandês chamado Samuel O' Reilly, em Nova York. A partir do século 20, as tatuagens foram se disseminando no Ocidente, incorporando-se como elemento cultural, principalmente pela facilidade com que podiam ser feitas, com muito menos dor e efeitos colaterais.
                               EVOLUÇÃO E MODERNIZAÇÃO                            
                                                                                                                                           
A máquina Elétrica

Para traçar a história da máquina de tatuagem, temos de voltar no tempo,  voltar antes do tempo em que Samuel O' Reilly patenteou a primeira  máquina de tatuagem, no tempo em que um inventor italiano chamado  Alessandro Giuseppe Volta , desenvolveu a bateria e nomeou os " Volts "  que conhecemos hoje, e um tal de Thomas Alva Edison ( ele mesmo...o que  inventou a lâmpada ), inventou a impressora auto-gráfica; e o príncipio  básico do eletromagnetismo tinha sido descoberto em 1819 pelo inventor  dinamarquês Hans Christian Ørsted e sendo usado  por várias outras invenções na época. Bem...o fato é que todas as  máquinas de tatuagem, na maior parte das patentes, se beneficiaram e  utilizaram essas tecnologias recém descobertas.
As primeiras máquinas de tatuar
E foi então que, em 1891, Samuel O'Reilly registrou a patente de sua  famosa máquina de tatuagem e é verdade quando dizem que a máquina de  Samuel O'Reilly foi a mais completa máquina de tatuagem a ser  patenteada, mas antes disso, houve um considerável desenvolvimento de  ferramentas que utilizavam o eletromagnetismo. Em meados de 1876, Thomas  Alva Edison, de Nova Jersey ( ele mesmo....o que inventou a lâmpada  elétrica ), patenteou um dispositivo para fazer desenhos e pinturas  indeléveis em materiais resistentes, como o couro - esse dispositivo se  chamava " Impressora Auto-gráfica " ( foto abaixo, à esquerda). Esse  dispositivo de Thomas Edison utilizava um método de transferência de  tinta ainda utilizado hoje em dia pelas indústrias. Bom, nem é preciso  olhar muito para perceber que a mecânica de Thomas Edison poderia ser  facilmente adaptada para uma máquina de tatuagem, e foi exatamente o que  Samuel O' Reilly o fez, e quinze anos depois, com algumas modificações  do projeto de Thomas Edison, patenteou a primeira máquina de tatuagem (  foto abaixo, à direita).
Samuel O'Reilly Tattoing Machine - 1891
Thomas Edison Autografic Pen 1876
Os sucessivos melhoramentos feitos na máquina inicial de O'Reilly, ao  longo do tempo, resultaram em máquinas modernas e confiáveis,  incorporando o que há de mais moderno em aparelhos eletrônicos,  incluindo avanços importantes, como o uso de agulhas descartáveis,  conforme a necessidade do traço, além de dispositivos de controle dos  movimentos da agulha, que permitem precisão total. Alguns tatuadores  costumam fazer suas próprias máquinas, sem desprezar no entanto, tudo o  que há de mais moderno. Tatuadores profissionais, principalmente no  Oriente, ainda realizam seus trabalhos ponto à ponto, num trabalho de  altíssima qualidade.
Abaixo, modelos de máquinas profissionais modernas.
Máquinas de tatuar modernas
O PAI DA PALAVRA
                                                        
                                              
O pai da palavra "  tattoo " que conhecemos hoje em dia, foi criada pelo capitão e  aventureiro inglês James Cook ( o cara tava em todas....só para você ter  uma idéia , ele também descobriu o surf no Hawai ), que escreveu em seu  diário a palavra " tattow ", também conhecida com " tatau " (  onomatopéia para descrever o som emitido durante a execução da tatuagem  pelos nativos da Polinésia, onde se utilizavam de agulhas feitas de  ossos e uma espécie de martelinho para introduzir pigmentos na pele. Com  a circulação dos marinheiros inglêses pelas rotas comerciais da época, a  tatuagem e a palavra " tattoo " entraram em contato com diversas outras  civilizações e culturas pelo mundo afora. Infelizmente, por volta de  1879, o governo da inglaterra adotou a tatuagem como forma de  identificação de prisioneiros e criminosos, criando assim, o estigma da  marginalização de pessoas tatuadas no mundo ocidental.
A TATUAGEM NO BRASIL
Luke Tattoo - Santos
No Brasil, a tatuagem moderna feita com máquina  elétrica, é uma arte ainda digamos " recente ", surgiu em meados dos  anos 60 na cidade portuária de Santos, São Paulo, e foi introduzida no  Brasil pelo dinamarquês Knud Harld Likke Gregersen, mais conhecido como   Lucky Tattoo ( ele dizia que suas tatuagens trariam sorte a quem as  possuissem ) veja foto ao lado.
Lucky teve seu estúdio nas próximidades do cais  de Santos, onde na época era área de boemia e prostituição, e isto  contribui bastante para a disseminação de preconceitos e discriminação  da atividade de tatuador. A localização da loja era área de intensa  circulação de imigrantes e marinheiros vindos de toda parte do mundo,  estes muitas vezes bêbados, arruaceiros e envolvidos com prostitutas,  gerando infelizmente, um estigma de arte marginal que perdurou por  décadas.
                      
                      
Hoje em dia, graças ao trabalho de incontáveis profissionais da arte de tatuar e a circulação de informação pela televisão, rádio e principalmente internet, a tatuagem vem sendo usada como adorno corporal, atingindo todas as camadas sociais brasileiras sem distinção, e ganhou merecidamente, o status de arte.
A TATUAGEM NA POLINÉSIA
                                                                                                    
A  Tatuagem da Polinésia já foi a mais artistica do mundo antigo, altamente  evoluida, caracterizada por desenhos geométricos elaborados, retocados  durante toda a vida do indivíduo e aumentados, até que lhes cobrissem  todo o corpo. Os nativos da Nova Zelândia, conhecidos como Maoris, são  famosos no mundo todo pelas suas tatuagens. Apesar de não cobrirem o  corpo como a maioria dos povos do Pacífico Sul, desenvolveram um forma  incomum de tatuagem, aplicadas no rosto e nas nádegas. Os Maoris  utilizavam a técnica de entalhe de madeira aplicada à tatuagem.  Cinzelavam na pele um único desenho, utilizando instrumentos feitos de  ossos, aplicando em seguida a tinta. Mais tarde, quando chegaram os  europeus no século 18, trazendo o metal, os Maoris começaram a praticar  uma forma mais convencional de tatuagem de punção. O Moko, sua expressão  mais impressionante, decorava os rostos com espirais intrincadas,  feitas através de cortes na pele formando cicatrizes no formato de cumes  e de sulcos paralelos. Para criar os cumes e sulcos que caracterizavam o  Moko, o instrumento penetrava à profundidade da carne e apesar da dor  intensa e do sangue, a sessão de tatuagem era motivo de orgulho para os  guerreiros, que permaneciam impassíveis à dor o tempo todo. ( fotos  abaixo ).
Maori
Essa impressionante forma de tatuagem ainda pode se vista em muitos  museus ao redor do mundo, não apenas em desenhos e fotografias como  aqui, neste site, mas também em peles naturais. Os Maoris tinham a  prática incomum de remover e preservar as cabeças tatuadas de seus  chefes, após a morte. Essas cabeças deveriam ficar com a família, como  uma honraria. Até a chegada dos europeus, essas cabeças tatuadas tinham  apenas um valôr sentimental, sem qualquer valôr comercial, mas quando os  museus e colecionadores passaram a se interessar por elas pela  curiosidade que representavam, houve uma grande demanda por elas ( foto  abaixo ).
Lobao Tattoo Saude
Cabeças Maori Tatuadas exibidas no Museu
Nesta foto acima, em sépia, o major Horatio Rubley, um dos maiores  colecionadores de cabeças maoris tatuadas. Em 1908, ele as ofereceu ao  governo da Nova Zelândia por mil libras, mas sua proposta foi recusada.  Hoje, 30 das cabeças de sua coleção, estão no museu de história natural ,  em Nova York ( foto cima com fundo azul ).
Estabeleceu-se então, um comércio intenso, com cabeças sendo trocadas  por armas de fogo, munição e metal. Como os Maoris viviam em guerra  entre sí por terras e propriedades, essa guerra abasteceu o comércio de  cabeças tatuadas e reduziu consideravelmente a população maori da Nova  Zelândia. Altamente cobiçadas agora por seu valôr comercial, ter a  cabeça tatuada representava um enorme risco de morte.

Bom Galera, ficamos por aqui. Espero que tenho gostado deste pequeno resumo dessa Arte Milenar.
Lobao Tattoo Saude
Copyright 2019 - Todos os direitos reservados
Voltar para o conteúdo